22/08/2023 às 11h52min - Atualizada em 23/08/2023 às 08h07min

Democracia é destaque no principal prêmio do cinema brasileiro

Filmes que provocam reflexão sobre a política brasileira e que têm causas como tema concorrem nas principais categorias do 22º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Vencedores serão conhecidos em premiação nesta quarta-feira, 23 de agosto

Carlos Gil
https://gp2023.academiabrasileiradecinema.com.br/premio/finalistas/
Giros Filmes
Entre os longas-metragens indicados em pelo menos uma categoria na 22ª edição do Grande Prêmio do Cinema Nacional, incluindo ficção, documentários e animações, 10 têm como contexto o jogo político e a democracia ou causas atreladas à diversidade e meio ambiente. Além disso, seis obras com esta temática estão entre os 15 que participam da disputa pelo voto popular para saber qual será o premiado na escolha do público.

Nos documentários, dois longas-metragens estão diretamente relacionados aos acontecimentos políticos e concorrem na categoria Melhor Documentário. Um dos concorrentes é O PRESIDENTE IMPROVÁVEL, que resgata a trajetória e o pensamento de Fernando Henrique Cardoso desde seus tempos de estudante até o presente por meio de 20 conversas com personalidades como Gilberto Gil, Bill Clinton, Manuel Castells, Celso Lafer, Gilda Gouveia, José Gregori, Pedro Malan, Raul Jungmann, Boris Fausto e Nelson Jobim. O outro é AMIGO SECRETO (de Maria Augusta Ramos), que aborda o escândalo da “vaza-jato”.

Em ficção, relacionado à reflexão sobre os processos políticos, o prêmio tem como indicado O DEBATE (dirigido por Caio Blat), que concorre nas categorias Melhor Primeira Direção e Melhor Roteiro Adaptado e que conta a história de um debate eleitoral e as decisões que cabem aos seus organizadores. Já MARTE UM (de Gabriel Martins), mostra no início da trama a posse de Jair Bolsonaro na Presidência da República, de onde se desencadeia uma série de acontecimentos. Em EDUARDO E MÔNICA (de René Sampaio), a história está contextualizada no final da ditadura militar, nos anos 80, incluindo polarização ideológica entre personagens do filme. E MEU TIO JOSÉ (Ducca Rios) é uma animação que conta, do ponto de vista infantil, a história de um militante contra a ditadura. Abordando causas relacionadas à diversidade e ao meio ambiente, disputam MEDIDA PROVISÓRIA (de Lázaro Ramos), PALOMA (Marcelo Gomes), PUREZA (de Renato Barbieri) e A MÃE (de Cristiano Burlan).

Para Caio Blat, que estreia como diretor e concorre na categoria de Melhor Primeira Direção, “a alegria de ver O DEBATE reconhecido é a mesma que foi realizá-lo. Um tema político explosivo no meio de uma acirrada campanha eleitoral. E um feito inédito: uma equipe que se superou em todos os níveis para filmar, montar e lançar o filme em menos de dois meses, com excelência em todos os resultados, calcados no talento e experiência dos roteiristas Guel Arraes e Jorge Furtado, e na performance brilhante de Deborah Bloch e Paulo Betti. O filme é um registro da ebulição política durante a pandemia no nosso país. Essa indicação é um prêmio para a ousadia e a coragem de todos os envolvidos, e que venham muitos projetos assim".

A GIROS FILMES recebeu três indicações com O DEBATE e O PRESIDENTE IMPROVÁVEL, cujo tema é a democracia. Segundo Mauricio Magalhães, CEO e sócio da Giros, “sermos indicados com dois filmes que têm a política como contexto, lançados em um momento com tantas ameaças à democracia brasileira, sendo um documentário e uma ficção, é sinal de que estamos cumprindo nosso propósito de provocar a reflexão na sociedade sobre temas essenciais para nosso país”. Para Belisario Franca, um dos fundadores da produtora e diretor do documentário sobre FHC, “com O DEBATE, tivemos a alegria de lançar Caio Blat como diretor de cinema. E, com O PRESIDENTE IMPROVÁVEL, registramos a história de um dos grandes intelectuais brasileiros que, por um acaso, se tornou Presidente da República”.

Dentro do tema democracia e política, a premiação ainda traz, além dos filmes brasileiros, os longas 1976 (de Manuela Martelli) e ARGENTINA, 1985 (de Santiago Mitre), que abordam respectivamente as ditaduras e processos democráticos do Chile e da Argentina, concorrentes na categoria Melhor Filme Ibero-Americano. Já na disputa de Melhor Série Brasileira Documentário está O CASO CELSO DANIEL (de Marcos Joel Jorge).

O resultado será conhecido durante a cerimônia de premiação, que acontece na quarta-feira, 23 de agosto, em evento de gala na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. O anúncio dos vencedores será transmitido ao vivo para todo o país pelo YouTube e pelo Canal Brasil.

Sobre: a Giros Filmes é uma produtora que atua há 26 anos no mercado audiovisual explorando diversos gêneros para TV, cinema, web e streaming. Inovadora, busca em seus projetos navegar por temas de vanguarda que instigam a reflexão e o debate sobre causas, como a diversidade, a inclusão e a sustentabilidade, entre outros. Produziu cerca de 70 séries, filmes e documentários exibidos em mais de 40 canais nacionais e internacionais como HBO, TV Globo, Arte, BBC, History, Discovery e Universal TV. Com 21 filmes selecionados pelos festivais mais importantes do Brasil e do mundo, tem 28 prêmios de prestígio mundial (NY Film Festival, International Documentary Association/IDA, GP do Cinema Brasileiro, Gramado, Documenta Madrid, Montreal Black Film Festival) e é uma das três produtoras brasileiras que integraram um long list do Oscar, com o filme Menino 23, em 2016.

Informações para a imprensa  
Carlos Gil | [email protected]
Raquel Brito | [email protected]
 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp