25/08/2023 às 10h57min - Atualizada em 28/08/2023 às 08h01min

Candidatos dizem que comportamento do recrutador é motivo de nervosismo ou insegurança durante entrevista.

Pandapé, plataforma de RH do Infojobs, promoveu uma live no CONARH 2023 com a influenciadora Ana Chauvet sobre o tema

Divulgação
Divulgação

Uma pesquisa realizada pelo Infojobs, revelou que 63% dos profissionais de recursos humanos já fazem o recrutamento humanizado e  93,5% dos recrutadores acreditam que podem ser empáticos nos processos seletivos. Ela aponta que quase todos os candidatos dizem que o comportamento do recrutador já foi motivo de nervosismo ou insegurança durante a entrevista. Além disso, traz que: a falta de atenção, as muitas anotações e as perguntas inesperadas são os principais fatores que geram desconforto nos candidatos. 

O recrutamento e seleção é uma das atividades mais importantes e desafiadoras para as empresas e para os profissionais de RH. Encontrar os talentos certos para as vagas requer não apenas conhecimento técnico, mas também habilidades comportamentais que possam garantir um processo seletivo eficiente, justo e humanizado. Nesse sentido, três competências se destacam: empatia, estratégia e assertividade.

Essas competências foram abordadas na transmissão ao vivo realizada no estande do Pandapé, plataforma de RH do Infojobs, no CONARH 2023, um dos maiores eventos sobre gestão de pessoas do mundo. A live contou com a participação da influenciadora Ana Chauvet, que compartilhou sua experiência como candidata e como recrutadora em diferentes contextos.

“Eu acredito que a empatia é fundamental para criar uma relação de confiança entre o recrutador e o candidato. Eu já passei por processos seletivos em que me senti acolhida, valorizada e respeitada, mas também por processos que não senti o mesmo. Como recrutadora entendo a necessidade de sempre fazermos um processo seletivo de forma humanizada, e as plataformas de RH, como o Pandapé, ajudam nessa tarefa”, disse Ana Chauvet durante a live.

Segundo uma pesquisa da Robert Half, feita em 2020, 87% dos gestores brasileiros consideram que a empatia é essencial para o sucesso dos negócios. A pesquisa mostrou ainda que os gestores brasileiros são os que mais valorizam a empatia entre os 13 países pesquisados, seguidos pelos mexicanos (86%) e pelos franceses (85%). Os países que menos valorizam a empatia são os Estados Unidos (66%), a Alemanha (67%) e o Reino Unido (68%).

"Empatia nos processos seletivos é uma forma de valorizar os candidatos e reconhecer o seu potencial. Os gestores de RH têm um papel fundamental nessa prática, pois são eles que definem o perfil da vaga, acompanham as etapas do recrutamento e dão o feedback final. Por isso, é importante que os gestores sejam claros, transparentes e respeitosos com os candidatos, criando uma relação de confiança e credibilidade.", finalizou a influenciadora

Segundo Ana Paula Prado, CEO do Infojobs, é papel fundamental das plataformas de recrutamento e seleção auxiliarem na realização de um processo seletivo cada vez mais humanizado: “Nós sabemos que cada candidato é único e tem suas próprias expectativas, sonhos e desafios. Por isso, oferecemos ferramentas que permitem aos recrutadores conhecer melhor os perfis dos candidatos, personalizar as etapas do processo seletivo e dar um feedback construtivo, mesmo em casos de declínio do candidato”, comentou a executiva.


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp