29/08/2023 às 11h00min - Atualizada em 30/08/2023 às 00h02min

O que o polêmico videoclipe da Luiza Sonza nos diz sobre a hostilidade com a menstruação? 

A arte usada como ferramenta para a quebra de tabus

Imprensa Herself
Divulgação Luisa Sonza
 

O que o polêmico videoclipe da Luiza Sonza nos diz sobre a hostilidade com a menstruação? 

O lançamento do videoclipe de Luiza Sonza tem movimentado e dividido opiniões das pessoas nos últimos dias. Intitulado “Campo de Morango”, a trama traz cenas da artista dançando de forma sensual, em cima de uma cama que está cheia de morangos - o que deixa o lençol e as roupas da cantora tingidos de vermelho. 

Nas redes sociais, a maioria das pessoas dizem ter a impressão de que todo esse morango significa sangue - algo que tem incomodado muita gente. Muitas questões foram levantadas a respeito dos significados do videoclipe - talvez ainda pelo sangue simbolizar violência e sofrimento, e por isso, muitas pessoas associaram o vídeo a coisas negativas. Por outro lado, existem momentos naturais em que o sangue está presente, como em partos e na menstruação. Inclusive, uma das interpretações que chamou a atenção foi sobre o tema sexo durante a menstruação, que pode ser algo super positivo sem ser alvo de criticas e tabus.  

Transar enquanto está menstruada pode ser muito prazeroso e benéfico para a mulher, pois muitas mulheres sentem a libido aumentar nesse período. Fora isso, o orgasmo no período menstrual é considerado bom, por ser capaz de aliviar até mesmo as cólicas sentidas pela contração do útero nessa fase. Além deste, há outros benefícios relatados acerca desta prática, como a diminuição do estresse que algumas mulheres sentem com mais afinco. A ginecologista Roberta Grabert, formada pela FMUSP, alerta: “É importante ressaltar que, por mais que seja benéfico, durante a menstruação, o sexo pode aumentar o risco de contrair infecções transmissíveis (ISTs), e por isso, a proteção e boa higiente pós-sexo são fundamentais”. 

Mas se está comprovado que sexo e menstruação podem, sim, estar juntos, por que será que as pessoas ainda tem aversão pelo tema? A resposta está entranhada nos paradigmas inseridos na sociedade há muito tempo e que ainda não foram desmistificados. “A ideia de que o sangue menstrual é algo ruim e sujo, ainda permeia entre as pessoas de uma forma muito intrínseca. A sexualidade feminina, então, nem se fale! A maneira mais eficaz de ressignificar algo que é natural e comum na vida das mulheres é trazendo o assunto para debate”, afirma Raíssa Assmann Kist, CEO e fundadora da Herself, femtech voltada para soluções menstruais. 

A arte é uma ferramenta fundamental para a quebra de tabus na sociedade. As representações artísticas têm trazido à tona algumas discussões e reflexões necessárias para que paradigmas, como essa simbologia ao sangue seja quebrada e ponderada. 

Após o lançamento da nova música, Luiza Sonza perdeu mais de 100 mil seguidores no Instagram. Em uma participação recente em um podcast, a cantora se pronunciou sobre as diversas interpretações com seu novo videoclipe, negando significados como violência sexual e aborto. 


 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp