16/02/2024 às 08h57min - Atualizada em 18/02/2024 às 00h01min

Custo-benefício do abastecimento com etanol é o maior desde setembro de 2018

Vantagem do biocombustível é maior em Mato Grosso, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Goiás. A opção pela gasolina, todavia, ainda é mais vantajosa em estados do Norte, Nordeste e Sul

Em janeiro de 2024 o preço médio do litro do etanol correspondeu a 66,8% do valor cobrado pela mesma quantidade de gasolina comum, estabelecendo o menor patamar desde setembro de 2018, quando alcançou 66,9%. Comparativamente, na média das capitais, o indicador foi de 66,3% - renovando a mínima histórica também nesse recorte geográfico. 

Em comparação à alternativa fóssil, trata-se do melhor momento do biocombustível na série histórica, iniciada em janeiro de 2017. Os dados são do Panorama Veloe de Indicadores de Mobilidade, em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – Fipe.

Como ambas métricas continuam abaixo de 70% - referência da análise de custo-benefício – o abastecimento com etanol continua sendo uma opção mais favorável aos consumidores que possuem veículos equipados com a tecnologia flex fuel, tanto na média das UFs quanto na média das capitais. 

Os resultados também revelam que essa vantagem do etanol é ainda maior em algumas regiões, onde estão os maiores produtores de cana-de-açúcar, matéria-prima mais relevante na produção de etanol no Brasil: Centro-Oeste (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás) e Sudeste (São Paulo, Minas Gerais). 

Por outro lado, há regiões em que a gasolina continua sendo a melhor opção disponível sob a ótica do custo-benefício, como ocorre no Norte (Rondônia, Roraima, Pará), Nordeste (Maranhão, Piauí, Ceará) e Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina).

Há, ainda, estados em que não há diferença significativa entre custo (preço) e rendimento médio esperados de ambos combustíveis, como nos indicadores calculados para Tocantins, Pernambuco e Rio de Janeiro.

 

 

Os números decorrem do comportamento recente dos preços dos combustíveis, especialmente do etanol, cuja oferta no mercado interno passa por um momento bastante favorável. De acordo com os dados do Panorama, cinco dos seis combustíveis monitorados ficaram mais baratos para o consumidor em janeiro/2024: etanol hidratado (-1,9%), diesel S-10 (-1,2%), diesel comum (-1,2%), gasolina comum (-0,6%) e gasolina aditivada (-0,5%). Assim, os preços médios nacionais por litro abastecido foram os seguintes: gasolina comum (R$ 5,688), gasolina aditivada (R$ 5,810), etanol hidratado (R$ 3,514), GNV (R$ 4,734), diesel comum (R$ 5,965) e diesel S-10 (R$ 6,027). 

No balanço dos últimos 12 meses, isto é, comparando-se os resultados de janeiro de 2023 e de janeiro de 2024, quatro dos seis combustíveis apresentam redução nos respectivos preços médios: etanol hidratado (-10,4%), GNV (-7,9%), diesel S-10 (-7,4%) e diesel comum (-7.3%). Por outro lado, em comparação com janeiro/2023, houve incremento de preço médio da gasolina comum (+11,0%) e da gasolina aditivada (+10,5%).

 

Acesse aqui na íntegra o Monitor de Preço de Combustíveis do Panorama Veloe de Indicadores de Mobilidade.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp