16/02/2024 às 20h45min - Atualizada em 18/02/2024 às 00h24min

Para além dos dias quentes: a manutenção da indústria de moda praia no Rio

Empresária fala sobre movimentação do setor fora do verão

Assessoria - Viviane Vale
Divulgação
Os dias ensolarados indiscutivelmente representam o ápice para os profissionais do ramo de vestuário destinado aos momentos de lazer, como piscinas, cachoeiras, banhos de mar e diversas outras atividades recreativas. Após o êxito nas vendas durante o Carnaval, que abriu portas para a comercialização de peças como biquínis, maiôs e sungas, amplamente utilizados em fantasias festivas, o setor já planeja seus próximos passos para as estações vindouras, visando assegurar sua relevância em meio à sazonalidade.

Uma pesquisa da empresa de consultoria americana McKinsey divugada em julho do ano de 2023, apontou que as tendências de comportamento para o consumidor brasileiro em 2024, revelaram um cenário otimista para o futuro, mas com cautela nas ações do agora. O cenário favorece a economia, demandando ações inovadoras, que se tornem objeto de desejo. Apesar da chegada do outono em março, cidades como o Rio de Janeiro permanecem quentes durante a maior parte do ano. Essa realidade se repete em várias regiões do Brasil, especialmente no Nordeste, onde as altas temperaturas persistem até mesmo durante o inverno. 

Para manter a vitalidade da empresa que fundou há mais de 14 anos, a empresária Viviane Vale, cujo empreendimento teve início em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, já está planejando as peças que serão as principais apostas para o período pós-verão. Isso inclui uma linha fitness, além de itens como shorts, tops, macacões e outros, que são opções versáteis e podem ser incorporadas ao guarda-roupa durante todo o ano, adaptando-se aos dias mais amenos.

"No comércio, é crucial se reinventar constantemente. Trabalhar no setor da moda exige uma atenção especial, não apenas às tendências do mercado, mas também às mudanças climáticas repentinas e outros fatores, como a economia e a inovação, que influenciam diretamente nessa direção. No segmento da moda praia, essa capacidade de adaptação é ainda mais essencial, já que ninguém sobrevive exclusivamente com vendas de biquínis o ano inteiro. Estamos sempre projetando nossas ações para os meses seguintes, buscando manter o mercado aquecido, criar oportunidades de emprego e aumentar nossas vendas, tanto em termos de expectativas quanto em comparação com anos anteriores", explicou Viviane.

A expectativa é que esta linha de produtos possa aquecer o setor, valorizando a essência da marca que propõe a liberdade da mulher que vive no Rio, incentivando produções que representem a verdadeira essência de cada uma delas. 

"Mais do que uma oportunidade de negócio, eu tenho amor pela costura e por tudo o que este universo oferece. Tenho certeza que é possível manter essa indústria viva com um propósito, mas também acreditando em um produto que possa representar a nossa clase, dizendo que podemos ser quem somos através das roupas também", pontua a empresária.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp