19/02/2024 às 15h06min - Atualizada em 20/02/2024 às 00h09min

Mosquito da dengue também é nocivo para os pets

Apesar de não transmitir a doença para cães e gatos, o Aedes aegypt pode transmitir dirofilariose, doença igualmente grave, para esses animais; Médico-veterinário alerta para a importância da prevenção principalmente nesse período de surto

MSD Saúde Animal
Reprodução/Cães e Gatos
O recente aumento dos casos de dengue tem deixado a população em alerta. De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil deve ter 4 milhões de casos de dengue em 2024. As medidas para prevenir a doença nos humanos já está amplamente difundida, mas poucos tutores de pet sabem que, apesar de não transmitir dengue para cães e gatos, o mosquito Aedes aegypti pode ser igualmente nocivo para os pets picados já que pode ser vetor de outra enfermidade igualmente perigosa, a dirofilariose. É o que explica Márcio Barboza, médico-veterinário e gerente técnico pet da MSD Saúde Animal, que alerta ainda sobre a importância da prevenção para a segurança dos pets.

A dirofilariose
A doença, também conhecida como "verme do coração", é uma doença parasitária grave que afeta a saúde e a qualidade de vida dos animais de estimação. “É causada pelo parasita Dirofilaria immitis, podendo ter como vetor o mosquito Aedes aegypt. Ela afeta principalmente cães, podendo causar sintomas como tosse, falta de ar, fadiga e até mesmo insuficiência cardíaca se não for tratada adequadamente, podendo levar à morte”, diz Márcio.

Prevenção é sempre a melhor solução!
Diante do perigo, o veterinário reforça a importância da prevenção e concede algumas dicas essenciais para proteger os animais de estimação:
 
  • Manter o ambiente livre de água parada: O mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e um dos vetores da dirofilariose, se reproduz em água parada. Portanto, é essencial eliminar qualquer recipiente que possa acumular água ao redor da casa, como vasos e pneus velhos. A atenção deve se estender aos recipientes de água para animais de estimação, onde a água deve ser frequentemente trocada, e qualquer outro objeto que o animal use que possa acumular água.
  • Manter o ambiente limpo e higienizado: Manter o ambiente interno e externo da casa limpo e higienizado pode ajudar a reduzir a presença de mosquitos. Mantenha a grama cortada, remova folhas e detritos do jardim e mantenha a casa limpa e livre de sujeira, pois isso pode atrair mosquitos.
  • Utilizar produto contra pulgas e carrapatos com eficácia comprovada: Além de oferecer proteção contra os ectoparasitas, é essencial optar por produtos que tenham ação inseticida, como é o caso do Bravecto. Esses produtos agem eliminando o mosquito imediatamente após a picada, reduzindo assim a prevalência do Aedes aegypt e protegendo, consequentemente, não só os animaizinhos, mas também toda a família.

Ao adotar essas medidas preventivas, os tutores de animais de estimação contribuem significativamente para a saúde e o bem-estar de seus companheiros de quatro patas, além de colaborarem para a redução da propagação de todas as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypt.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp