21/02/2024 às 14h08min - Atualizada em 23/02/2024 às 00h22min

Curso de Cenografia com J. C. Serroni

Sesc SP lança curso em seis módulos que é gratuito e online

Pombo Correio Assessoria de Comunicação
Divulgação
 

Sesc SP lança curso de Cenografia com J. C. Serroni 

 

Em seis módulos, o curso, que é gratuito e online, pode ser acessado por qualquer pessoa interessada. André Cortez, Gabriel Villela, Márcio Tadeu e Simone Mina são convidados para abrir o diálogo com Serroni, em aulas que serão disponibilizadas a partir do dia 29 de fevereiro.
 

A partir do dia 29 de fevereiro, o Sesc Digital oferece o curso de Cenografia, que traz a experiência de J. C. Serroni em seis módulos divididos em 28 aulas, de uma forma simples — porém, não simplista. As aulas trazem fundamentos históricos e técnicos, lado a lado com as reflexões sobre linguagem, estilo e processos de trabalho. As inscrições estão abertas na plataforma EAD Sesc Digital.

Este curso chega após os bem-sucedidos ministrados por Marisa Bentivegna (Iluminação Cênica) e a Cia LaMínima (Fundamentos de Palhaçaria e Comicidade Física), ambos disponíveis para matrículas. 

*

Sobre o curso de Cenografia, com J. C. Serroni

Um dos principais mestres da cenografia no país, atuando há cinco décadas, J. C. Serroni coleciona diversos prêmios em sua carreira. Neste curso, o artista apresenta aulas que trazem fundamentos históricos, conceituais e técnicos, lado a lado com as reflexões sobre linguagem, estilo e processos de trabalho.

A importância do diálogo com a equipe artística, técnica e com os atores será reforçada ao longo das aulas, bem como da pesquisa de referências e do uso eficaz e estratégico de materiais, estruturas e objetos cênicos. Para isso, o cenógrafo explica, na prática, como os conceitos se materializam em diferentes espetáculos, com estudos de caso específicos em diferentes tipos de palco ou espaços cênicos, conforme as diferentes condições, demandas e restrições que se apresentam em uma montagem teatral. O aluno encontrará muitas dicas e conselhos sobre os cuidados que um cenógrafo deve ter.

O material complementar, nas abas de leitura e na apostila do curso, traz a explicação de termos específicos, desvendando o vocabulário do dia a dia dos profissionais, com links para pesquisa em livros, fotos, sites e vídeos. Será possível acompanhar as diferentes opções de materiais disponíveis hoje para elaborar croquis, maquetes e projetos criativos, numa integração harmônica entre o conhecimento do passado e as possibilidades tecnológicas do futuro. 

Sempre em diálogo com outros artistas, Serroni convidou André Cortez, Márcio Tadeu, Gabriel Villela e Simone Mina, grandes profissionais das artes cênicas, para elaborar questões importantes em depoimentos sobre esta área, ao longo das aulas. 

Para quem é este curso?
O curso é livre, gratuito e autoguiado, ou seja, as videoaulas estão todas gravadas, e o aluno pode acompanhar no seu próprio ritmo. Não fornece certificado nem prevê avaliações, mas incentiva a formação teórica e prática, tanto de uma forma geral (pelo cultivo da sensibilidade artística, pela observação atenta de espetáculos e na análise do diálogo com outras áreas) como específica (na apresentação de técnicas, materiais e abordagens do fazer cenográfico). 

Ao final dos seis módulos, os interessados terão seu repertório ampliado quanto aos caminhos e ferramentas possíveis na elaboração de um projeto de cenografia, tendo a trajetória de J. C. Serroni como guia. O material de apoio é direcionado aos iniciantes e aos já iniciados na arte teatral, sem limitação de idade, tendo como único requisito o interesse pelo estudo da cenografia e de suas variadas abordagens ontem e hoje. 

Para além de fazer uma decoração de palco ou de mimetizar uma realidade em cena, a arte da cenografia organiza signos para criar uma outra realidade; dramatizando o espaço em conjunto com a direção, com a iluminação e a sonoplastia; sempre apoiando o trabalho do ator, em estreita colaboração com o/a figurinista.

***

• Módulo 1: Onde Nasce Essa História: definições de cenografia e sua evolução, a partir do Teatro Grego e Romano.

• Módulo 2: A essência de cada tempo e contexto: reflexões sobre o fazer cenográfico e a evolução da cenografia na Idade Média. 

• Módulo 3: O que revelam as escolhas dos espaços, das dramaturgias e da pesquisa cenográfica: caminhos para a formação técnica e sensível do artista e a evolução da cenografia no Teatro Renascentista  e na era de ouro do Teatro Barroco. 

• Módulo 4: Exigências e transformações da arte na caixa de ilusões: o projeto cenográfico e diferentes configurações do espaço e suas implicações, desde a caixa cênica da Ópera Italiana até os dias atuais.

• Módulo 5: As diferentes configurações do espaço na contemporaneidade: tipologias de teatro, site specific e estudos de caso. 

• Módulo 6: Técnicas e Materiais: exemplos de maquetes e estudo de materiais para a construção do seu projeto (propriedades e aplicações).

Sobre J. C. Serroni
José Carlos Serroni é um dos principais mestres da cenografia no país, atuante há cinco décadas. Seus trabalhos receberam dezenas de prêmios em festivais nacionais e internacionais e chegaram ao maior evento da área, no mundo, que é a Quadrienal de Praga, na República Tcheca. Em São Paulo, junto do diretor Antunes Filho e do Centro de Pesquisas Teatrais do Sesc, trabalhou em espetáculos icônicos, como “Paraíso Zona Norte”, “Vereda da Salvação” e “Antígona”, e coordenava o Núcleo de Cenografia e Figurino do CPT. Sempre envolvido na formação de novos profissionais, criou o Espaço Cenográfico, no centro de São Paulo, e os cursos de cenografia/figurino e técnicas de palco, da SP Escola de Teatro; além de ter publicado livros de referência como Teatros: uma memória do espaço cênico no Brasil (Senac, 2002), Cenografia brasileira – Notas de um cenógrafo (Sesc, 2013) e Figurinos – Memória dos 50 anos do Teatro do Sesi-SP (Sesi, 2015). 

J. C. Serroni começou como artista plástico, em São José do Rio Preto e formou-se arquiteto pela Universidade de São Paulo. Foi aluno de Flávio Império, professor de gerações de profissionais e colaborador de renomados diretores teatrais. Levou sua expertise para a tevê (TV Cultura, TV Globo e MTV), para a ópera, dança, ao cinema, shows musicais e montagens de exposições, sendo também responsável por reformas de teatros e espaços multiuso em todo Brasil. Há 15 anos seu lugar de experimentações é o Armazém da Utopia, no Rio de Janeiro, junto da Companhia Ensaio Aberto.

Sobre o Sesc Digital
A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo, e uma plataforma online de cursos livres e gratuitos. Saiba mais: ead.sesc.digital e sescsp.org.br/sescdigital 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp