26/02/2024 às 15h20min - Atualizada em 26/02/2024 às 20h08min

[Entrevista] Um mundo de cores e maravilhas: Samsung Art Store, da The Frame, apresenta Shinique Smith

[Entrevista] Um mundo de cores e maravilhas: Samsung Art Store, da The Frame, apresenta Shinique Smith

Gustavo Henrique de Alencar
https://news.samsung.com/br/entrevista-um-mundo-de-cores-e-maravilhas-samsung-art-store-da-the-frame-apresenta-shinique-smith
Samsung
Shinique Smith é uma artista de Nova York amplamente reconhecida por suas esculturas monumentais em tecido e pinturas abstratas com caligrafia e colagens. Em sua arte, ela usa objetos reciclados ou memórias para mostrar o poder das posses pessoais, acreditando que os seres humanos colecionam lembranças significativas em busca do seu próprio paraíso. Seu trabalho tornou-se famoso nas últimas duas décadas por transmitir mensagens inspiradoras de expressão pessoal, energia, história e identidade. Agora, a obra de arte mundialmente aclamada de Smith ganha vida com a tecnologia de ponta da The Frame.

 

A Samsung Newsroom conversou com Smith para discutir sua jornada artística e a inspiração por trás de alguns de seus trabalhos.

 


▲ Shinique Smith posa em frente a uma de suas obras

 

Da exposição criativa inicial a uma carreira variada e próspera
P: Nos conte um pouco sobre você e sua carreira como artista. Como sua exposição inicial ao mundo da arte influenciou sua carreira?

 

Nasci, cresci e fui educada em Baltimore, Maryland, nos Estados Unidos. Minha mãe fez questão de que a criatividade fosse parte integrante da minha educação. O que começou como artes e artesanato em minha infância me inspirou a frequentar a Baltimore School for the Arts, onde concluí meus estudos de graduação e pós-graduação em artes plásticas e educação artística.

 

Além dos meus mais de 12 anos de educação artística, os esforços criativos e intelectuais da minha mãe – incluindo design de moda, ciência, religiões mundiais e práticas espirituais – foram todos influentes e se tornaram o núcleo conceitual da minha prática artística.

 

A arte moldou minha visão de mundo, pois é um estudo, uma busca e uma carreira para toda a vida.

 

P: Você trabalha com muitas mídias diferentes, desde escultura até pintura. Com qual mídia você mais gosta de trabalhar?

 

Considero a escultura e a pintura como lados opostos da mesma moeda, e o que mais gosto é quando elas se influenciam mutuamente. Crio com muitos materiais: tinta, tecido, colagem, fotografia e performance. Gosto de encontrar as conexões e harmonias que ressoam entre eles.

 

P: Nos conte um pouco sobre seu processo artístico. Como você vai do início ao fim de um projeto?

 

O desenho é a base do meu processo artístico. Faço esboços de esculturas que já fiz ou que planejo fazer no futuro. Isso mantém minha mente e minhas mãos coordenadas e frescas. As pinturas começam com palavras traduzidas em gestos no papel ou na tela. A partir daí, construo camadas, edito e encontro conexões de cores e significados nos elementos que adiciono. O processo é quase totalmente intuitivo.

 

P: Você se lembra de algum momento ou experiência crucial em sua carreira que ainda influencia seu trabalho?

 

“Twilight’s Compendium”, uma instalação específica no Denver Art Museum, é um de meus trabalhos mais significativos. Usei meu corpo para fazer impressões na parede e as combinei com escultura e colagem para criar minha primeira instalação em grande escala. Foi um catálogo de blues e uma coleção de marcas que aprendi ao longo do processo e que continuo a usar atualmente.

 

Um museu íntimo na Samsung Art Store
P: Seu trabalho foi exibido em instituições que vão desde o Museum of Fine Arts, em Boston, até o New Museum, em Nova York. Como a exibição de seu trabalho na The Frame se compara à exibição em museus ou galerias?

 

Ambas as plataformas dão acesso a um público amplo. Nos museus, o espectador deve apreciar a obra em um ambiente mais público e de ritmo acelerado. Na The Frame, por outro lado, é como ter uma parte do museu em um espaço íntimo, dando ao espectador mais tempo para explorar os detalhes da obra.

 

P: Você tem uma coleção de obras públicas em cidades como Los Angeles, Chicago, São Francisco e outras. Como você acha que obras públicas como essas se comparam ao seu trabalho, que está amplamente disponível para os usuários da The Frame?

 

Minhas obras públicas estão disponíveis para as pessoas verem enquanto estão em trânsito. Elas são em escala monumental, de 60 a 150 pés. Algumas estão dentro de casa e no nível do solo, e outras estão do lado de fora e tão altas no ar que os espectadores precisam estar à distância para ver a peça inteira. Todas as minhas obras, onde quer que sejam encontradas, revelam detalhes intrincados quando observadas mais de perto, semelhante à visualização da arte na The Frame.

 

P: Quais peças você recomendaria que os usuários exibissem na The Frame? Forneça uma breve explicação sobre cada uma delas.

 


▲ “Angel” (2011)

 

“Angel” é uma composição de três imagens que tirei de uma de minhas esculturas suspensas favoritas. Com rosa e arco-íris, essa peça é ótima para ser exibida na The Frame, pois nem todo mundo tem espaço para trabalhos como esse em sua casa.

 


▲ “Dusk” (2012)

 

“Dusk” é uma escultura de parede em tecido e a única que se tornou uma paisagem feita com roupas do meu armário. Inspirei-me em nossa busca pelo paraíso e pela utopia por meio de nossas lembranças. Para os usuários, espero que seja como ver uma colina imaginativa através de uma janela.

 



▲ “Memories of my youth streak by on the 23” (2019)

 

“Memories of my youth streak by on the 23” é uma novidade na The Frame e é minha parte favorita de uma pintura de mídia mista semelhante a um mural. Por meio dos espelhos recortados, o espectador vê vislumbres de si mesmo na obra, como a minha experiência de ir de ônibus para a escola quando era adolescente ou ver o reflexo da minha janela contra a paisagem urbana.

 

Tecnologia e acessibilidade artística
P: Você acha que há alguma vantagem em exibir seu trabalho digitalmente, como na The Frame?

 

Adoro ver meu trabalho em diferentes escalas e mídias. The Frame é uma bela plataforma que oferece ao espectador a vantagem da variedade e da intimidade.

 

P: Ao longo de sua carreira, como você viu a tecnologia influenciar o mundo da arte? Como você vê essa influência mudando no futuro?

 

Qualquer coisa que cause uma mudança na sociedade se reflete no mundo da arte – a tecnologia evoluiu tão drasticamente que mudou a sociedade moderna com computadores domésticos, TV a cabo sem fio, Internet e mídias sociais.

 

Câmeras e filmadoras descartáveis deram às pessoas maior acesso à fotografia e à videografia. Agora, todos podem filmar, documentar e compartilhar todos os incrementos da vida por meio de seus smartphones.

 

Olhando para o futuro, todos estão falando sobre IA e seu uso para pensar e criar para as pessoas. Ao continuarmos essa exploração, espero que continuemos a confiar em nossas próprias habilidades e criatividade.

 

P: Você tem algum projeto futuro sobre o qual possa nos falar?

 

A exposição “Metamorph” será inaugurada em abril na Monique Meloche Gallery durante a EXPO Chicago. A exposição apresentará novas pinturas, esculturas e trabalhos em papel inspirados em borboletas, transformação e beleza resistente.

 

Em julho deste ano, também apresentarei uma nova instalação escultural em grande escala no Indianapolis Museum of Art at Newfields.

 

Minha última exposição, “Parade”, foi inaugurada recentemente no John and Mable Ringling Museum of Art. A sinergia entre meus trabalhos contemporâneos em tecido e as figuras adornadas e drapeadas das pinturas dos mestres europeus é impressionante. Disponível até janeiro de 2025, a galeria contará com várias palestras e apresentações a partir de maio deste ano até o outono.

 

Visite a Samsung Art Store na The Frame para ver mais obras de arte da Shinique Smith.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp