28/02/2024 às 13h40min - Atualizada em 29/02/2024 às 00h05min

Golpes financeiros com idosos crescem no Brasil

Especialista explica como se prevenir e que providências tomar nesses casos

EP
EP
Comunicação Nivea Ferreira
Dados oficiais do Governo Federal mostram que o número de golpes contra pessoas idosas cresceu mais de 70% no país em 2023 em relação a 2022. De acordo com a advogada, Nivea Ferreira, os golpes mais comuns são o golpe do Pix, do consignado, do WhatsApp, da aposentadoria, do cartão de crédito, falso sequestro e de compras na internet.
A especialista destaca que a primeira atitude a ser tomada é informar ao banco o ocorrido e, em seguida, cancelar os cartões, fazer um boletim de ocorrência, ir ao PROCON e acionar a justiça através de um advogado de confiança.
Nivea explica que, na maioria das vezes, é possível sim recuperar valores perdidos em um golpe, dependendo muito da particularidade do caso. “É importante que as pessoas estejam cientes de que, se o golpe envolve uma instituição financeira, esta é responsável pela restituição dos valores”, afirma ela.
No caso de golpes que são praticados por um próprio familiar do idoso é preciso denunciar na delegacia comum ou delegacia do idoso, em Municípios onde elas já existem, e no Ministério Público. Nesses casos, segundo ela, é preciso vencer a vergonha e responsabilizar o familiar envolvido.
Em dezembro de 2022, o aposentado Ademir de Matos Rodrigues, de Além Paraíba, Zona da Mata Mineira, foi fraudado em cerca de R$31.000,00 através de dois golpes comuns: o golpe do PIX e do empréstimo consignado. Após receber diversas ligações de um suposto atendente de seu banco com uma oferta de empréstimo, que foi negada por ele, o aposentado confirmou os dados pessoais ao criminoso, por confiar no fato de que ele obtinha todas as suas informações.
Algumas dicas simples para se resguardar dos golpes, segundo a advogada, são: não fornecer dados pessoais e senhas por internet ou telefone; não emprestar cartão para outra pessoa; ter muito cuidado com o crédito fácil, oferecido por telefone, e-mail ou WhatsApp; não efetuar contratos por telefone nem por internet; não guardar suas senhas junto com o cartão nem com o celular e não deixar seus dados do cartão de crédito salvos em sites de compra.
Outra importante recomendação da advogada é: ao receber uma mensagem SMS ou e-mail do banco, procurar imediatamente seu gerente na agência bancária, de forma presencial.
No caso de Ademir, ao procurar o banco, ele foi informado que, ao fazer as confirmações ele devia o empréstimo consignado contratado, no valor de R$25.000,00 e várias transferências por PIX feitas de sua conta, que totalizavam cerca de R$ 6.200,00. De acordo com o gerente do banco, ao confirmar as informações, o aposentado havia autorizado as transações e era responsável pelos débitos. Então, ele entrou com uma ação na justiça buscando ressarcimento.
O processo ainda está em andamento, mas, de acordo com a advogada Nivea Ferreira, tem grandes chances de êxito, por terem sido cumpridas corretamente todas as etapas da denúncia. “Por isso, é importante imediatamente buscar ajuda e denunciar o golpe”, conclui a profissional.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp