24/04/2023 às 17h54min - Atualizada em 26/04/2023 às 00h03min

Alesp: Rafa Zimbaldi integra Comissão de Segurança Pública e defende prevenção rigor a criminosos

Comissão de Segurança Pública da Alesp

SALA DA NOTÍCIA Rafa Zimbaldi, deputado estadual (SP)
Divulgação/Alesp
O deputado estadual Rafa Zimbaldi (Cidadania) integra neste seu segundo mandato a Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) defendendo ações de prevenção aos crimes e rigor aos criminosos.

Autor de duas propostas de destaque na área de segurança pública na Assembleia Legislativa, o projeto de lei 248/2023 que cria o botão do pânico nas escolas públicas e privadas, e o projeto de lei 509/2023, que permite que policiais civis e militares atuem, em dias de folga, dentro das escolas para aumentar a segurança de alunos e funcionários, Rafa afirma que seu papel na Comissão de Segurança Pública terá como palavra de ordem a prevenção contra a ação de criminosos.

"É claro que a Justiça deve punir criminosos com todo o rigor da lei, mas antes que os crimes ocorram é preciso que a nossa sociedade seja protegida pelas ações preventivas das nossas polícias. Não podemos esperar uma tragédia acontecer para que o Poder Público tome providências", disse Rafa Zimbaldi, nesta segunda-feira (24).

Segundo Rafa Zimbaldi, as estatísticas da violência, na capital e no interior, preocupam e chamam atenção, a exemplo do grande número de mulheres assassinadas, "Para se ter uma ideia, em 2022, o número de homicídios dolosos de mulheres (com intenção de matar) tiveram alta de 4,7% com relação a 2019 no estado de São Paulo, atingindo o maior patamar de casos desde 2018".

Outro crime que tem crescido no Estado, além dos casos de violência dentro das escolas, é o de roubo e furto de celulares. Não é só a Capital que chama a atenção do deputado quando o assunto é segurança. O Interior do Estado também o preocupa. Campinas, por exemplo, está entre as dez cidades paulistas que mais registraram roubos de celulares no Estado, em 2022, é o que aponta uma pesquisa feita e publicada pelo Departamento de Economia do Crime da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), neste ano.

De acordo com o ranking, Campinas é a quinta cidade paulista com o maior índice de roubo de aparelhos. "Quando uma pessoa é abordada por um assaltante tudo pode acontecer, até mesmo a morte do trabalhador, de uma mãe ou de um jovem que está indo para escola. Isso é o que me move na Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, ou seja, garantir junto com o governo do Estado a segurança da nossa população. Não podemos ser reféns do crime", finaliza Rafa Zimbaldi.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp