28/04/2023 às 17h56min - Atualizada em 30/04/2023 às 00h05min

Jogos Olímpicos de Paris: o que mudou em 100 anos?

*Emerson Liomar Micaliski 

SALA DA NOTÍCIA Valquiria Cristina da Silva Marchiori

Após um intervalo de 1924 a 2024, Paris voltará a sediar uma edição do principal evento esportivo do mundo, os Jogos Olímpicos. A cidade parisiense, ficará ao lado de Londres, no topo do ranking entre as cidades com mais edições dos Jogos. Historicamente, a cidade de Londres é a única a sediar três edições dos Jogos, 1908, 1948 e 2012. Esse recorde, porém, será alcançado pela cidade de Paris em 2024, após ter recebido os jogos em 1900 e 1924. Mas, nesse intervalo de 100 anos dos jogos realizados na capital francesa, é comum que nos perguntemos: o que mudou entre as edições das Olímpiadas? Quais foram os resultados e os avanços do Brasil entre as edições de 1924 e 2024?  

De acordo com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), os Jogos Olímpicos de 1924 foram marcados pelo alto investimento na infraestrutura e na inédita montagem da vila olímpica para hospedar os 3.088 atletas representantes de 44 países. Além disso, a cobertura de aproximadamente mil jornalistas nas 23 modalidades, disputadas em 126 provas, favoreceu para consolidar os Jogos Olímpicos como o maior evento esportivo do mundo. O Brasil, teve apenas 12 atletas competindo em 3 modalidades (atletismo, remo e tiro esportivo), e sem conseguir subir ao pódio, o melhor resultado alcançado por atletas brasileiros foi o 4º lugar pelos irmãos Edmundo e Carlos Castelo Branco, no remo.  

Já para os jogos de 2024, o Comitê Olímpico Internacional (COI), destaca que são esperados 10.500 atletas, representando mais de 200 países, para competir em 239 eventos, de 38 modalidades. Essa edição marcará a estreia de uma nova modalidade, o breakdance. Entre as boas novidades também temos a igualdade na participação entre homens e mulheres nos jogos, sendo 50% de atletas masculinos e 50% femininos, além do aumento das provas mistas entre homens e mulheres, ampliando de 18 para 22, comparadas à Tóquio.  

Os dados concebem o avanço da conquista da participação feminina no esporte, pois em 1924, as mulheres representavam somente 4,4% do total dos competidores. Vale lembrar que o alcance da igualdade de gênero faz parte das recomendações da comissão do Programa Olímpico, bem como, é uma das metas da Agenda 2030, concentradas no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 5, que trata do alcance à igualdade de gênero e empoderamento de mulheres e crianças.   

Sobre os efeitos comparativos de resultados, ainda não temos como responder quantos atletas participarão e quais modalidades serão representadas por brasileiros na edição de 2024, isso porque, a quase dois anos do evento, as competições classificatórias estão sendo realizadas. Entretanto, existe a expectativa que os números da última edição (Tóquio), com 302 atletas em 35 modalidades diferentes, e a conquista de 21 medalhas, sendo 7 de ouro, 6 de pratas e 8 de bronze, sejam superadas nos Jogos de Paris. Uma conquista que fará história para o país e que continue a fazer história também nas conquistas de igualdade para mulheres.  

*Emerson Liomar Micaliski – Doutorando em Educação Física na UFPR e Coordenador dos cursos de Pós-Graduação da Área de Educação Física e Esporte da Uninter.  


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornaldobelem.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp